quinta-feira, 21 de maio de 2009

Retrô 2007

Essas semanas tem sido super saudosistas para mim. Me peguei ouvindo sons e leituras que faziam a minha cabeça em 2007, no alto dos meus 17 anos.
Foi interessante e renovador. 2007 foi um ano completamente diferente do que imaginei, sonhei.
Eu troquei de colégio neste ano, fui para um dos colégios mais famosos do rio. E foi horrível.
Um mundo subitamente diferente e oposto de mim.
Neste ano estudei no Bahiense, fiz o terceiro ano e pré-vestibular. Foi a pior idéia que poderia ter tido.
Aquele lugar é frequentando por jovens na maioria de situação ecônomica maior que a minha. Jovens filhinhos de papai preocupados com festas, marcas de roupas , cervejas e mulheres. Ah também havia um som bem horrível, tudo pavoroso. Circo dos horrores.
Acho que dá pra imaginar como fui recebida. Não me encaixo em nenhum status e sinceramente, as patricinhas e playboyzinhos de lá, não estavam preparados para estudar com pessoas tão diferentes quanto eu.
Eu não sou nada comum, adepta de jeans rasgados, coturnos e maquiagem pesadíssima. Claro,isso não é uma regra, mas é óbvio que alguém tão exótica não receberia um sorriso de cara naquele inferno.
Depois de alguns dias, fiz contatos com muitas pessoas mas a maioria delas não tinha nada a ver comigo. Logo em seguida , conheçi o que seria o meu grupo a partir dali.
Meu namorado ficou com receio mas no fim deu tudo certo. Encontrei pessoas iguais a mim, que curtiam as mesmas coisas e não seguiam aquelas regras idiotas.
Foi bom e diferente, para um ano escolar foi uma experiência difícil. O bahiense é um colégio com um ritmo acelerado,e eu vinha de uma das piores escolas.
Eu não entendia nada de vestibular e sentia uma dificuldade lascivante. Sentia falta dos meus verdadeiros amigos que sumiram e não me davam notícias. Minhas novas "Amizades", na realidade apenas três, eram um tanto quietas e apáticas . Naquele ano eu procurava contato e me senti fracassada.
Obviamente não passei no vestibular, passei um sufoco para tirar boa nota nas provas.
Encontrei apoio e suporte com o meu namorado. Então descobri uma nova arte e a música.
Descobri The Strokes, Descobri a insônia.
Ao mesmo tempo em que aquele ano foi temoroso para mim, também foi uma experiência extravagante.
Foi um ano de Rock, bebidas e noites de sextas-feiras desejáveis, sinto falta disso.
Descobri que meu gosto musical ia muito além do que sonhava.
Sempre ouvi um som Indie, Gótico, Alternativo mas descobri que eles tinham o poder muito maior sobre mim.
Foi aí que começei a ouvir bandas como Marilyn Manson, Lacuna Coil, Franz Ferdinand, Type O Negative, The Strokes, Los Hermanos e Placebo.
Simplesmente conheçi uma parte de mim que não conheçia. Uma parte de mim que descobriu que me sentia muito melhor escrevendo, lá era o meu refúgio, meu paraíso, minha escape.
Foi então que decidi cursar Letras( Português-Inglês). Até hoje guardo esse sonho dentro de mim, tão feroz.
Só que essa é uma outra estória.


Song To Say goodbye-Placebo

2 comentários:

  1. Pra onde quer q vc vá
    q vc me carregue

    ResponderExcluir
  2. Querida,

    Quantas descobertas...
    Viver traz intensidade e mudanças constantes.

    Sim, o saudosismo.
    Certas lembranças nos emocionam.

    Adoro estar em seu mundo de palavras, pois ele é mágico e real ao mesmo tempo.

    Beijinhos,
    Princess Obscurity.

    ResponderExcluir