domingo, 31 de janeiro de 2010

O outro lado do vinil




"Eu quero as verdades para mim. Se possível, pessoas de fé que compreendam a vida. Que não me olhem torto ou me façam sofrer. Que não me digam: " - Não beba Juliana". Nunca fui exemplo para ninguém. Não sou xuxa nem paquita. Eu sou de carne e osso. Sofro e sinto. Luto e corre atrás. Luto pelo que amo, corro atrás dos meus sonhos e invisto naquilo que é certo para mim. Só que as pessoas dizem que o correto para mim. Como se elas fossem perfeitas. Tipicamente, modelos em uma vitrine. Me canso desse comportamento tão narcisista. Eu sempre sofro pelos outros. Já parei de contar quantas vezes já chorei por amor. Sou uma romântica inveterada. Por amigo então, perdi as contas. Sempre começa assim, eu me entrego, sou sincera e intensa. Aí a pessoa que também fez tudo isso comigo, saí em disparada de mim, como se tivesse medo, como se eu fosse uma louca que tem alguma doença contagiosa. Uma vez, prometi a mim mesma, nunca mais ligar para o que os outros pensam. Até me engano. Mas a minhoquinha da discórdia aparece e tira tudo do lugar. Dessa vez, juro. Tudo saíra diferente, penso assim talvez. Só espero poder ferrar com os outros tanto como fazem comigo. Meu momento justiceira."

5 comentários:

  1. Momento de revolta. Gostei do teu texto, alias, gostei do teu blog.

    Follow me on twitter se possivel. Escrevo coisas por la tambem.

    https://twitter.com/songbirdwords

    ResponderExcluir
  2. muito grato, juliana
    sinta-se sempre muito bem-vinda e sempre à vontade pra comentar e criticar da forma como bem entender...
    muito obrigado pela visita

    qualquer coisa podemos trocar contatos e idéias

    grande bjo

    ResponderExcluir
  3. Ô, se eu pudesse também fazer os outros sofrerem como eu sofro... mas acho que é assim mesmo: nós fazemos uns sofrerem, daí chegam outros e fazem o mesmo conosco e o mundo gira...rs

    Adorei seu blog!
    Obrigada pela visita, e volte sempre, viu?

    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. É amiga...decepções acontecem,mas elas nos fazem crescer,e saber dizer um não a quem pode nos magoar.
    Força amiga,vc tem belas palavras,eu amoo isso aqui =D

    ResponderExcluir