quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Transição





Faltam dois dias para o meu niver. Oficialmente deixo de ser uma adolescente. Culpa dos Yankees que dizem que depois do dezenove, deixa de ser contagem Teen. Que singnifica adolescente. Para mim não importa, por dentro vou continuar a ser a adolescente de 15 anos que sempre fui. Eu gosto disso. Como disse a Pitty uma vez: "- os jovens trazem esperança e leveza, coisa que os adultos nem um pouco me passam". Deve ser por isso que tenho amizade com pessoas da minha idade, e até mais novas. Tenho essa capacidade e naturalidade com pessoas mais novas. Sempre odiei isso. Uma vez em uma viagem em Cabo Frio quando, aos 16 anos não tinha com quem andar, fui jogar com os pirralhinhos queimado. Foi divertidíssimo e amei.Desde sempre tive amigas bem mais novas,acho que tenho essa capacidade. Agora que tanto quero entrar para letras, sei o significado disso para mim. Melhor, sinal de quem sabe um dia vou ser uma boa professora. Sempre admirei pessoas que tem capacidade de falar com pessoas mais novas, como Pitty (sim, sim), Meg cabot e Thalita Rebouças. Isso é um dom e quero muito (porque não?) ser assim.
Outra nova, amanhã começo uma nova etapa na minha vida. A partir de amanhã, trabalharei com telemarketing. Serei uma teleoperadora, preciso tanto salvar uma grana que essa foi a única saída que encontrei. Ir ao centro todos os dias, o lugar no Rio De Janeiro com o trânsito mais nojento que existe. E olha, que nem conheço SP.
Vou ter que me virar, conhecer gente nova e não ficar em casa, que foi a notícia que recebi melhor. Vou trabalhar muito e ganhar pouco. Por algum motivo, me enxergo mais mulher do que antes. Uma autoconfiança começa a surgir dentro de mim, acredito que depois de um certo tempo, passamos a olhar o mundo com outros olhos e ele me parece bem mais atraente e divertido.
Mesmo trabalhando que nem uma louca, não sei se isso será definitivo. Porque espero o resultado da facul e ainda mais, não vou deixar de lado o romance que estou tentando escrever. Vou comprar um caderninho e a história vai me acompanhando até o trabalho.
Por algum motivo, passei a apostar ainda mais nas coisas que escrevo. Ainda bem. E não é nenhuma mentira, recentemente descobri Ana Canãs, uma coincidência Alê! Sabe qual a melhor? Devolve moço é bem divertido, e estranha...como eu. Ouçam!

Um comentário: