terça-feira, 29 de junho de 2010

O Livro Proibido


Confesso. Eu li " O Doce Veneno do Escorpião" da Bruna Surfistinha e gostei. Não é um dos melhores livros que já li. Mas também não é tão ruim. Adoro livros polêmicos, já havia acontecido isso antes com os da Mayra Dias Gomes, Clarah Averbuck, A Dama das Camélias e Christiane F. Deixo bem claro que esse livro é para aqueles que tem estômago forte. O que mais me chamou a atenção, foram os depoimentos dela. Ela foi honesta, verdadeira, transparente em todo o livro. Ela se despiu e contou pedaços de sua vida que se eu fosse ela não teria coragem de contar a ninguém. Confesso também que a ideia de Bruna Surfistinha como escritora me embrulhava o estômago. Poxa, com tanto escritor bom, logo alguém fora do meio rouba a cena? Mas acontece e paciência!! E eu, que sou viciada em livros sempre achei errado criticar sem ler. Fiz isso com Machado de Assis e me arrependi. Sou viciada hoje em dia nas obras dele. Então, acho que antes de julgar você deve experimentar. Menos as drogas hein pessoal? Pode parecer clichê, mas ninguém entende mais a Bruna Surfistinha do que eu. Ela foi adotada e não conheceu seus pais verdadeiros. Bruna teve coragem de falar sobre isso, dar a cara a tapa. Coisa que eu, não me sinto preparada para falar, nem lidar. Voltando a Bruna, seus pais tinham uma boa condição financeira. Ela teve tudo. Tudo o que queria ou sonhava, bastava ela pedir que seus pais davam. Era uma criança meiga, presa pelos pais e patinho feio. Na adolescência, naquela fase rebelde, começou a fazer birra por ser sentir desprezada e por seus a prenderem tanto com medo da violência. Ah, se eles sonhassem o que se tornaria anos depois...
Passou a andar com a "Turma do Mal" e despertou para as paixões e garotos. Não há dúvidas de que ainda como "Rachel Pacheco" ela foi para o mau caminho. Ela se drogou, roubou estranhos e inclusive, os próprios pais. Só que ela fez tudo isso por pura adrenalina. Na voz dela, o perigoso tinha muito mais graça e não tinha graça pedir dinheiro e ganhar dos seus pais. Ela pos a perder um futuro brilhante.Mesmo tento feito tanta merda(ela merecia um castigo), achei que seus pais pegaram pesado. Agiram como se ela não fosse filha deles.Lembrando que a adoção sempre foi assumida e Bruna tinha irmãs mais velhas, realmente filhas de seus pais verdadeiros. Fiquei me perguntando, se tivesse sido as filhas verdadeiras que tivessem aprontado, como os pais reagiriam? Depois disso, senti pena dela. Não deve ter sido nada fácil. Naquele momento a história me arrebatou. Bruna era cheio de complexos.Ela ficou de castigo e seus pais pararam de falar com ela, sem dar dinheiro e nem um oi. Não suportando a situação, ela deixou uma carta de despedida e foi embora em rumo a única coisa que poderia fazer. Apesar de ser inteligente e ter estudado em colégios brilhantes, ela cabulou muitas aulas e nem formada era. Só lhe restou a prostituição. Com apenas 17 anos na época. A essa altura era viciada e é a parte mais chocante. Rachel Pacheco despertou a Bruna, não escondeu que sim , sentiu prazer em muitos programas. O que achei nojento. Ela também não esconde que é bissexual e a compainha de uma mulher é muito bem vinda. Podem imaginar o quanto sua vida era excitante(Em todos os sentidos né? Rs). Hoje em dia, ela é casada e sonha em fazer psicologia. Até acho que tem a ver com ela. Fiquei sabendo que a Deborah Secco vai ser o papel principalno filme da Bruna. Achei nada a ver. Apesar dela ter um histórico típico de Bruna,Deborah é tão sem sal, que o filme tão forte vai ficar fraquinho. O filme terá imagens fortes e quentíssimas. Tem que ter estômago forte. Foi interessante ler, pois conheci outro mundo. Dá-lhe Bruna*
Ela tem um blog recente, que diz que foi aonde a fama despertou e fez para cobrir os momentos de solidão. O mais recente que descobri foi esse: http://naonaopara.virgula.uol.com.br/brunasurfistinha/. Então não me venha com a brincadeirinha: Bruna Surfistinha é uma puta escritora. Engraçadinhos!!

8 comentários:

  1. huauhahua, a piada do final foi boa...

    Eu ainda não li, mas quem sabe um dia, só acho que sinceramente ela foi simplesmente uma mimada em busca de atenção e como disse, adrenalina.
    Mas...é ler para entender...

    ps:deborah seco é sem sal d+ tbm acho!

    ResponderExcluir
  2. eu ainda não li, mas já ouvi falar desses livros... qualquer dia pego pra ler e te falo :D

    ResponderExcluir
  3. O trocadilho final foi otemo hehehe.
    tenho vontade de ler, gosto de livros polemicos, me amarrei em Cristiane F, tambem.

    ResponderExcluir
  4. Oi, passando para te avisar que eu te indiquei para um meme lá no blog. É para dizer algumas coisas sobre você, mas em fotografias! Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Gostei do trocadilho no final!

    Beijos

    Ei, vc viu o meme que deixei para voce lá no blog?

    ResponderExcluir
  6. Achei muito interessante a história do livro, é a vida dela, não é? Histórias de vida são sempre bem vindas, rsrs, eu também li Christiane F., e admito que gostei.. De certa forma, esses livros são bons para nós.

    ResponderExcluir
  7. Nossa !! Eu também pensava como vc ´´´como a Bruna surfistinha` como pode ser escritora.. e vender muitos exemplares ?``, mas agora que li a postagem achei interessante.. e é isso mesmo temos que conhecer p/ falar.
    Adorei a postagem !!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá! Só uma observação. O livro não foi escrito pela Bruna Surfistinha. Foi escrito por Jorge Tarquini, um excelente jornalista. Até mesmo a idéia do livro não veio da personagem.
    Esse tipo de confusão é muito comum no mundo das publicações. O Jornalista escreve, mas não rouba a cena do dono da estória.

    Abraços,
    Juliana

    ResponderExcluir