sábado, 14 de agosto de 2010

A vida tem dessas coisas...


“A vida tem dessas coisas
Olha só nós dois aqui
Presos no elevador numa noite sem dormir”

A vida tem dessas coisas, Ritchie




Eu e minha colega de trabalho Pam, enveredamos em uma conversa um tanto polêmica e madura. Ela estava me contando sobre a noite anterior, na qual havia ido à formatura de uma das suas melhores amigas. Ela me contou que essa amizade tinha dez anos e que elas já tinham até parado de se falar. Mas isso em nada diminuiu o laço que havia entre as duas. Foi quando me recordei de uma das amizades que tenho.
Eu e V somos duas pessoas completamente diferentes. Ela é toda estranha e bobinha, enquanto eu sou mais esperta e mais compreensível. Essa amizade já tem vinte anos. Ela já passou por tudo: por épocas boas, ruins e muitas brigas. Já bati nela, ela já falou mal de mim na frente dos meus amigos e eu vivia achando que aquilo não era amizade. Um belo dia, em um dos dias mais difíceis da minha vida: lá estava ela. Ela não pensou duas vezes, veio ao meu encontro e estava ali a minha espera. Quando a vi, não tive dúvidas da sua amizade.
Eu havia ligado para ela. Só que antes de ligar para V, pensei em ligar para uma outra amiga. Pensei que “a outra amiga” fosse ao meu encontro ou se importar comigo. Só que tive medo da resposta dela e não liguei. Estranhamente, essa amiga que não liguei foi uma das poucas pessoas que soube do que aconteceu. Ela nem ao menos me ligou para ver se estava tudo bem e até hoje não me fez nenhuma pergunta sobre o que aconteceu. Já a V, que achava que não fosse minha amiga, foi ao meu encontro tendo uma festa marcada. Ela não pensou duas vezes. Ainda por cima, depois da festa, V ainda passou na minha casa com seu namorado figuraça para me animar.
Aquilo calou a minha boca e me fez mudar a minha concepção de amizade. Ser amigo não é só ficar ao lado a pessoa nos momentos felizes. Ser amigo nos bons momentos é fácil. Ser amigo é também estar presente na dor, na tristeza e dificuldades. Isso fez mudar a minha opinião sobre a outra amiga.
Essa amiga mudou completamente, não é a mesma que conheci. Ela era como eu, curtia os mesmos programas e mesmas opiniões sobre diversas coisas. “A outra amiga” diz que não tem tempo, nem tem como se encontrar comigo. Mas com os seus outros amigos, já foi a diversos lugares. Sim, me senti posta de lado e preferiria a versão antiga da minha amiga. Acho que ela pirou por ser tão diferente dos que andavam com ela.
Por exemplo, lá no meu trabalho sou umas das poucas pessoas diferentes. As pessoas de lá se amarram em ir a boates, pagodes, beber até cair e fazer sexo com estranhos. Não pense que sou puritana, mas esse comportamento “vazio” não faz o meu estilo. Legal, não estou falando mal. Isso só faz parte da personalidade e gostos deles. Mas não do meu. Sou o tipo de pessoa que se amarra em ir a shows de bandas, covers, barzinhos, lanchonetes, museus, teatros e cinemas. Não pense que o povo não me criticou. Elas fizeram cara feira para tudo que disse que gosto.
Mas quem disse que grilei? Não, essa sou. Isso faz parte de mim. Não ligo para o que eles pensam ou deixam de falar. Mas pelo visto, minha amiga não gostou de ser fazer papel de bobinha ou tem vergonha do que era.
Já estou acostumada com isso, ela só está no mesmo caminho de outras amizades que tive. É triste, mas acontece.
Já me falaram que poderia escrever um livro sobre as minhas amizades, porque as histórias mal fadadas que tenho dariam belos capítulos. Tudo isso que aconteceu, teve um lado bom e ruim. O lado ruim é que nossa amizade talvez, não seja a mesma coisa nunca mais. O lado bom é que me fortaleceu. Me fez ver que não temos que nos apoiar e contar com nossos amigos, mas sim contar com nós mesmos.
Sim, até doeu. Mas parto de princípio de que a decepção não mata. Ela ensina. Eu sei que nada será como antes. Mas sei que serei sempre eu mesma. Autêntica e original. Posso mudar o jeito de me vestir e andar, mas as minhas origens e meu jeito de pensar vão estar embutidos dentro de mim.

7 comentários:

  1. Ju
    Obrigada pela visita.
    Seu texto me fez lembrar outro:
    Eu acho ótimo ser diferente.
    "Vencedores caminham sempre na contramão da história e sabem o preço que se tem a pagar".
    Ah! Eu adoro essa música do Ritchie.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Jú,

    Independente das circunstâncias é ótimo aprender!


    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ju,

    amigos são anjos, sabe? E eles nos ajudam quando precisamos e acima de tudo, sabem conviver com nossas vitórias e ficam felizes por nós.

    Mas é difícil manter uma amizade, cada pessoa tem seu destaque em certa epoca da nossa vida. E a gente tem que aproveitar cada epoca.

    Sinto falta de tanta gente, deixei por aí tanta gente. Mas não esqueci de ninguém. Acho que a vida faz ser assim.

    Mas telefone existe, né? Aí a gente liga! Mata a saudade e tenta marcar um encontro com o amigo.

    Beijo,
    Nara

    ResponderExcluir
  4. Há pessoas que são excelentes companhias para os bons momentos. Mas não passam disso. Não são amigas. Amigos mesmo descobrimos nos momentos ruins.

    ResponderExcluir
  5. Essa coisa de amizade é muito complexa. As vezes sinto que não nasci pra isso... rs

    Toomara que V tenha a chanc de ler isso um dia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ju, a vida é assim. Algumas pessoas em que julgavamos amigas e pensavamos que nunca iamos nos abandonar ou sei la, acaba mudando tudo e isso de certa forma nos machuca, mas pode ver que isso mudou seu modo de pensar! Não?
    Beijos Ju.

    ResponderExcluir
  7. O seu texto me inspirou uma página no word, viu? rs
    Está ótimo, again! :)

    ResponderExcluir