sábado, 31 de julho de 2010

Mais de um milhão de coisas que aprendi ...


Hoje foi um dos meus melhores dias e terminei a noite chorando.
Digamos que coloquei em prática, tudo o que tenho tentado modificar em teoria. Talvez muitas pessoas não saibam, mas mudei muito o meu comportamento. Sempre fui uma pessoa que apesar de tímida, sempre foi bem explosiva. Fazia tumultos e na minha opinião, brigar resolvia tudo.
Até que então, tive que mudar. Os dias foram se aproximando, mas passei por um teste no qual tive que manter as minhas unhas e língua bem guardados.
Infelizmente tive o desprazer de ver uma das garotas que mais odeio na minha vida hoje a tarde. Ela é o tipo de pessoa vulgar, fake e que todos devem ignorar. Eu a odeio com toda a minha força. Para completar, ela é amiga da minha cunhada e conhecida do meu namorado(infelizmente, nada é pefeito...). Sendo que hoje, foi chá de bebe da minha cunhada. Então adivinha quem estava lá?
Sim, a bruxa do 71. Ela é o tipo de mulher que usa roupa e maquiagem para chamar a atenção, tudo porque por dentro é completamente oco.
Minha vontade era poder surrá-la até ela pedir arrego. Mas hoje era festa da minha cunhada que amo de paixão. E eu também não podia mais fazer aquilo. Caso fizesse (não surrá-la, mas demonstrar que não estava nada contente em ver a feiosinha) seria pior para mim. Além de estragar o meu sábado, iria também fazer ela se sentir nas alturas.
Foi a hora então, que o outro lado meu que não conhecia despertou:
" É agora ou nunca Ju"
Se eu desmoronasse, estaria dando razão a ela. Acima de tudo, precisava demonstrar para ela, para todos ali e o meu namorado que sua presença não me incomodava.
Até que a vi. Usava um vestido preto e tinha uma maquiagem que já vi em muitas garotas de programa. Meu namorado falou com ela e a vaca simplesmente mandou um beijo para o meu namorado e eu?
Sorri para ela. Nunca na minha vida dei um sorriso com tanta vontade, cheio de felicidade.
Antes de abrir um enorme sorriso, pois antes estava com um médio, ela me encarou e levantou a sombrancelha tentando deomonstrar a aversão por mim. Só que ela entrou em choque e ficou atordoada. Ela não esperava isso.
Ninguém esperava isso. Eu fiz algo que ela não esperava e ainda por cima não dei na mesma moeda.Deve ter sido difícil saber que ela não me abalou nem um pouco. Percebi que ela demorou para acreditar. Até ficamos conversando na mesma roda. Eu nada fiz. Nenhuma cara feia, nenhum bico. Apenas um verdadeiro sorriso de felicidade.
Então percebi que essa minha ação, só trouxe mais felicidade na minha vida. se fosse em outra época, se eu não tivesse mudado, estaria discutindo terrivelmente com meu namorado. Mas não pelo contrário, terminamos a noite super bem, mais unidos e apaixonados do que nunca!


"Obrigada Carla( a bruxa do 71), não faz ideia de como me fez bem!"


Eu me senti viva, terrivelmente feliz e chorei ouvindo Arcade Fire. Chorei porque foi muito difícil mudar. Principalmente quando envolve a sua felicidade. Mas eu consegui, conquistei. Agora não quero saber de outra coisa. Só quero saber de ser feliz!


In the suburbs I
I learned to drive
And you told me we'd never survive
Grab your mother's keys we're leavin'

You always seemed so sure
That one day we'd fight in
In a suburban world
your part of town gets minor
So you're standin' on the opposite shore
But by the time the first bombs fell
We were already bored
We were already, already bored

Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling
Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling again

Kids wanna be so hard
But in my dreams we're still screamin' and runnin' through the yard
And all of the walls that they built in the seventies finally fall
And all of the houses they build in the seventies finally fall
Meant nothin' at all
Meant nothin' at all
It meant nothin

Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling
Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling and into the night

So can you understand?
Why I want a daughter while I'm still young
I wanna hold her hand
And show her some beauty
Before this damage is done

But if it's too much to ask, it's too much to ask
Then send me a son

Under the overpass
In the parking lot we're still waiting
It's already passed
So move your feet from hot pavement and into the grass
Cause it's already passed
It's already, already passed!

Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling
Sometimes I can't believe it
I'm movin' past the feeling again

I'm movin' past the feeling
I'm movin' past the feeling

In my dreams we're still screamin'
We're still screamin'
We're still screamin'


The Suburbs - Arcade Fire ( a minha melhor banda do momento)

domingo, 25 de julho de 2010

No reino do faz de conta

- Estou escrevendo um livro de RPG.
Pronto, falei. Não estou escrevendo sozinha, na verdade está sendo uma parceria com o meu namorado - faz tudo Djan Skwara.
Na realidade conheço muito pouco de RPG,quem saca mesmo para valer é o meu namorado. Então imaginem que se já é difícil escrever um romance, imaginem uma história de fantasia que contém ação e personagens?
Pois é. Não é uma tarefa fácil,mas posso dizer que é bem interessante. Sempre curti esse gênero, mas pretendo(com algumas ressalvas do meu namorado) escrever a estória do meu jeito. O conteúdo tem que ter a nossa personalidade, dizer ao que veio e não ser só mais uma cópia.
Muitas pessoas que gostam de ler, criticam o gênero pois acham que o enredo se concentra apenas na ação. Porém J.K Rowling chegou com tudo, quebrou todos os conceitos e reinventou o seu.
Eu gosto é disso, de interagir a profundidade dos personagens com a ação. É por isso que esse livro quando pronto, vai ter a minha cara e a cara do meu namorado. Na hora de escrever, escrevemos para nós mesmos e mais ninguém.
Essa é a realidade de um escritor.
E a criatividade não é sua maior aliada e sim a sua melhor amiga e inimiga. Esse é um processo mais difícil. Mas isso é um outro post.


Good Nights e sonhem com Unicórnios

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Quem foi que lhe tirou do paraíso?



- Sou a mais nova viciada em True Blood ou na série de livros "Vampiros Sulinos" de Charlaine Harris. Como queiram chamar. O que eu posso dizer? São histórias viciantes que me hipnotizam e eu não consigo parar de ler. Graças a uma benção da minha amiga Mariana, tenho todos os livros para ler a hora que quiser e bem entender.
Infelizmente me perdi nas temporadas da série. Por mais que eu curta, sempre me perco. Mas o pouco que vi, percebi que ela é toda baseada nos livros. E isso é muito bom. Não houve muitas mudanças e caminha perfeitamente com o rumo natural dos livros. O que é ótimo. Ívina, minha amiga também viciada em caninos disse que demorou muito para colocarem a terceira temporada no ar. Tudo porque são cinco livros e eles tem que ir devagar, senão a série termina logo.
O melhor de tudo, é que apesar de ser super fã de Crepúsculo, tenho que admitir que esta série é muito mais fiel e autêntica com a natureza dos vampiros. Eles são seres impulsivos, atraentes, envolventes e agem conforme a sua natureza dita. Não saem ao sol e o melhor de dia, se escondem em buracos. Para lá de primitivo.
O vampiro Bill é incrível, não tem como não babar por ele. E está muito claro, que a série esconde algo que por algum motivo só no final se revelará. Eu já sei o que é, mas não vou contar para não estragar a história.
O melhor ainda dos livros, é que Charlaine não nos decepciona nas "partes mais movimentadas", visto que stephenie meyer teve que ser censurada.
Bill Comptom poderia ser um rockstar. Eu queria, de verdade, ele para mim rs.

Música ideal para se ouvir, lendo http://www.youtube.com/watch?v=So0OwM_84qE&feature=fvsr

sábado, 17 de julho de 2010

Eu & meu sonho

Na quinta feira, fui até a minha faculdade fazer a inscrição de disciplinas na UFRJ. Além de estar muito frio, estava com um frio enorme na barriga. Estava mergulhando em busca do desconhecido e não fazia ideia de como seria. Esperava por aquele dia anciosamente e seria toda a tradução dos meus sonhos. Descobriria enfim as matérias que teria que estudar e além de tudo,conheceria meus colegas de turma. Foi melhor que eu pensei. Apesar de longe e da UFRJ ser um mundo, eu não me perdi. Descobri que tem todo tipo de gente na minha turma: desde roqueiros e até uma senhora. Imaginem a surpresa que fiquei quando me deparei com todas aquelas pessoas. Por mais que digam, que Letras é um curso que tem muita mulher, me deparei demais com rapazes. Nem tudo é o que parece.
Pela primeira vez em tanto tempo, fiquei realmente feliz, motivada. Estava entre os meus. Ali, naquele lugar, tudo o que eu sabia, todos os livros que amava e todos os poemas que copiei no meu armário não era surpresa para eles. Pela primeira vez, em tanto tempo, falar sobre Kafka e Machado de Assis não era estranho e ninguém me olhava com cara de bunda. Rapidamente me enturmei, na fila para a inscrição diz amizades com quatro pessoas. Posso dizer que foi muito divertido e sozinha parece que não vou ficar.O prédio aonde vou estudar é lindo e inspira criatividade, liberdade e arte. Como eu amo aquele lugar. Não vejo a hora de estudar enlouquecidamente. Sei que talvez não tenha tanto tempo para o blog, mas não vou fechá-lo e nem abandoná-lo. Vou mante-lo sempre que possível. Só será o tempo de poder me organizar. Pelo visto vem muita coisa boa por aí. Perdi muitas rugas naquele dia que o telemarkenting criou.
Para completar o meu dia, descobri uma das melhores bandas da atualidade: Arcade Fire com a música The Suburbs. Estou lendo " Breve segunda vida de Bree Tanner".
Tenho escrito tanto, tantos projetos e parcerias... mas prefiro fazer surpresas. Na hora certa todo mundo vai saber. Eu amo voces!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Me Deixa


- Acordar e se mostrar. Mais um dia de trabalho. Ônibus cheio, gente feia e muitos sonhos na minha cabeça. Mal chego no trampo e sinto uma vontade louca de ir para casa, ouvir as minhas músicas, ler meus livros preferidos e ouvir as músicas que fazem na minha cabeça. Ainda tenho que aguentar pessoas que nem curto comentando da minha roupa. Tudo sobre mim é assunto para eles. Desdes as minhas roupas, meias, brinco e até os biscoitos que levo. Estou esgotada disso. Foda-se as minhas roupas. Sou quem quero ser. Vou usar minhas roupas preferidas e odeio esse tipo de inveja. Não sou modelo para ser copiada. Não gosto que fiquem reparando em mim, não gosto que me invejem. Inveja é um sentimento feio. Se você gostou de qualquer coisa que eu uso vai ficar querendo saber aonde comprei. Não falo, só porque quer saber. Essas pessoas do meu trabalho acham esse emprego o melhor do mundo. Acomodam-se. Se deus quiser, vou fugir dali rápidinho.
Estou cansada e o próximo que disser qualquer coisa, vai tomar um foda-se. Ah não tenho amigos no meu trabalho! Esse texto foi um desabafo sobre essas pessoas e não é um fora a vocês. Só precisava botar isso para fora.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Toda Roqueira tem o seu dia de mulherzinha;



Eu cansei.Confesso: Eu amo rosa e sempre fui fã da Avril Lavigne. Do que eu cansei? Bem, de todo esse comportamento. De que temos que ter tribos e dizer qual você é. Não sou produto para ser classificado que nem comida em supermercado. Estou desabafando sobre isso, porque vejo que como sempre os jovens adoram isso. Mas eu não. Gostar de Avril Lavigne e rosa, não me impede de gostar de Marilyn Manson e ouvir Hardcore. Se eu poder,sempre vou lutar contra essa palhaçada. Eu vou nadar contra a corrente sim! Eu gosto de salto alto, músicas pops e nada disso faz mal a ninguém.Depois que ficamos mais velhos, passamos a não ter medo de assumir das coisas que mais gostamos e fazem a nossa cabeça. Isso é maturidade e finalmente "Se encontrar".Faz parte, de uma para a outra, uma super roqueira que usa tênis all star descobrir que ama vestidos e sapatos de salto alto rosa. Eu não vejo problema nenhum nisso! Sou roqueira, mas meus melhores amigos são da igreja ou muito quietinhos. Esse é o meu jeito de ser! Sim, sou super contraditória mas não estou ligando. O mais importante, meus caros colegas, é ser feliz. Amar e ser amado. Rir e se divertir. Por isso, simples classificações não fazem parte do meu cotidiano. Eu quero ser eu, apenas a Juliana. Vambora, ser feliz! =D



http://www.youtube.com/watch?v=_133RgbBnRU&feature=channel (Ouçam)

sábado, 3 de julho de 2010

Um carioca chamado Machado


Era uma vez, um menino brasileiro muito inteligente apaixonado por livros e de uma origem super humilde. Ele nunca frequentou a escola, foi alfabetizado por um padre e por sua madrasta. Sua mãe faleceu quanto tinha 10 anos e ele tinha crises epilépticas. Ele entrou para a literatura brasileira como um mito. E eu sou sua fã número um. O homem em questão é Machado de Assis. Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (sagrada) e representante da cadeira número um. Criador de Capitu e marido de Dona Carolina. Machado era um homem boêmio, tipicamente carioca. Lutou para encontrar o seu espaço: Trabalhou como ajudante em uma gráfica, conseguiu escrever, publicar seus livros e foi funcionário público. Tem uma história muito engraçada sobre ele que ouvi uma vez e me identifiquei horrores: Quando ele trabalhava na gráfica, houve uma vez em que ele foi flagrado por outro funcionário lendo escondido para ninguém encontrá-lo. O tal funcionário fez queixa dele e o seu patrão apenas riu. O tal patrão em questão era o escritor Manuel Antonio de Almeida (autor de "Memórias de um sargento de milícias"). Já aconteceu a mesma coisa comigo. Um supervisor já me flagrou lendo escondido. Na hora, ele me deu uma dura. Mas assim que ele foi embora dei altas gargalhadas. Se eles pensam que a gente para de ler...! Machado era um cara simples que antes de se casar foi apresentando por Manuel ao círculo famoso de escritores da corte, como José de Alencar ("Senhora") e Joaquim Manuel de Macedo (“ A Moreninha"). Conheceu atrizes e sopranos (ele era fã de ópera) e teve casos com ela. Houve uma que se apaixonou por ele, sua paixão e casos ficaram conhecidos na época. Um dos motivos que escolhi Literatura Brasileira para estudar foi por causa de Machado. Antes de ler seus livros e contos, falei mal e julguei. Nunca façam isso. Esse é um comportamento errado. Nem conhecia e tirei conclusões precipitadas. Depois que li "Dom Casmurro", me viciei e li tantos outros de sua autoria. Quando comecei a trabalhar no centro da cidade, cheguei a ficar emocionada. Grande parte de suas histórias se passam por lá e andar por ali, era como sentir o espírito do Cosme velho (apelido de Machado) andando por ali. Cheguei a chorar. Como eu queria tê-lo conhecido, Conversado com ele. Tomado café e escrever algumas coisas juntos. Machado é a minha alma gêmea. Lá no centro da cidade, perto da Uruguaiana tem um pôster enorme dele. Meu coração ficou pequenino quando vi. Aquele lugar respira Machado. Olha a coincidência, eu trabalho lá! Eu sei Machado, tudo tem um motivo. Fico imaginando, se ele fosse vivo, um escritor atual, Machado iria gostar da Lapa, Noel Rosa, Samba, O Rappa, Circo Voador, Los Hermanos, Bebidas, opiniões polêmicas, Planet Hemp e D2! É, meu namorado ia ficar sem namorada rsrs. Sem dúvidas, ele seria uma pessoa interessantíssima e super moderna. Eu sei que sim.Um livro dele que mais teve impacto na minha vida foi Dom Casmurro. O final dele, no qual, Betinho encontra-se só me fez chorar horrores. Ele sabe como ninguém escrever sobre a solidão humana. Mas esta crítica de Dom Casmurro, isso já é outro post. O que importa é que Machado de Assis foi único, um carioca tão autêntico como eu. Ah, como eu amo Machado! É, sou Machadiana no sangue e na alma. Com muito prazer e muito orgulho. É uma pena os jovens não se interessarem por ele. Saibam que seus livros são ótimos, geniais e irônicos. Eles só possuem uma linguagem antiga, da época dele. E isso, é uma questão de respeito. Pois, imaginem essa linguagem adolescente internética? Pois é, A gente fala de Machado, mas não ficamos muito atrás. Para sempre Machadiana. Rio, sol e samba rock. Como eu amo tudo isso!