domingo, 31 de outubro de 2010

Eu sou um outro eu.





Want you to make me feel
Like I'm the only girl in the world



Rihanna , Only Girl (in The World).





Quem acompanha o meu blog irá perceber fortes mudanças. Tem gente que não curte, mas chega um momento que não dá mais para fugir. Antigamente tinha mais tempo e sempre postava. Fiquei algumas semanas e ainda continuo muito enrolada. Universitário sofre: tenho milhões de trabalhos para entregar, seminários, provas e trabalhos. Esse ciclo nunca termina.A sensação de que não aguentaria já passou, agora sei que vou aturar tudo isso. Tenho meus motivos, todo mundo tem. Não posso ser hipócrita.
Antigamente tinha planos, projetos e sonhos. Os sonhos ainda tenho e eles vivem dentro de mim. Só que deixei eles guardados dentro da minha gaveta,por enquanto só estou me permitindo viver. Viver intensamente tudo isso: A faculdade, os amigos, o namorado, a minha vida, o trabalho.Com isso os livros que estava escrevendo estão todos guardados, as férias virão e irei poder me dedicar a isso.
Mesmo que esteja super ocupada, estou tentando levar uma vida normal. Ainda saio, me divirto, escuto minha músicas loucas. Meus discos de reggae e os cd's da Lilly Allen. Vejo vídeos da minha playlist preferida e estou viciada em saltos.Meu armário agora tem bastante rosa e estou amadurecendo a ideia de fazer uma tatoo e rosa pink.
Não sou a mesma pessoa, só que no momento tudo que não quero é me definir. Quero ouvir as músicas que quiser,sair para aonde estiver com vontade, me vestir do jeito que me der na telha. Se essa é a nova Juliana não sei. Não é uma crise de identidade, só estou consumindo muitas informações, estilos variados e me classificar agora não irá adiantar nada.
Eu não quero me classificar, só quero aproveitar. Me divertir com os meus amigos no Bosque da Barra, fazer piquenique com a galera de Letras, sair com os meus amigos e ficar horas no msn, fofocar, rir, assistir coisas ridículas, ter uma opinião e logo depois ter outra completamente diferente daquela dita anteriormente. Eu preciso disso, necessito ser jovem. Quero ser irresponsável com o meu namorado, sair como fizemos na sexta sem horário para voltar. Chegar em casa, cair na cama, dormir e acordar para trabalhar.Quero brigar com alguma amiga minha e fazer as pazes.
Agora vou ouvir um pouco de Lily Allen e pintar minha unha de rosa chiclete.
Prometo agora não mais sumir do blog.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Confissões.

Eu confesso.
Tenho muito medo de ser uma universitária fracassada e operadora de telemarketing para sempre. Já tive inúmeros pesadelos com isso e tenho a sensação de que irei ficar presa naquele lugar horrível para sempre.
Eu odeio o meu emprego, isso não é segredo para ninguém. Ele não me dá tempo, não me deixa criar, não me deixa viver e só me dá pouco dinheiro. Dinheiro é uma merda, te torna dependente e escrava. Eu tenho um trabalho escravo, se isso não é escravidão então...
Eu não me dou bem com todo mundo e mal chego no lugar, já dá vontade de ir embora. Ele me desanima, me desmotiva. Só que o meu outro medo é ficar sem dinheiro, sem emprego e ficar na merda que me encontrava antes.
Antigamente achava que trabalhar mudaria a minha vida. Mudou tão pouca coisa...
O que mais me deixa apreensiva é o fato de não aproveitar muito a minha vida acadêmica. Sempre sonhei em poder estudar, fazer cursos e oficinas.
Estou vivendo uma dos maiores sonhos da minha vida, porém não estou vivendo todo ele. Já surgiram vários cursos, palestras e não posso ir em nenhum.
Eu fico com ódio, inveja, sinto raiva do universo e nessa hora como queria ser filhinha de papai. Se eu fosse metade dos meus problemas estariam resolvidos...
O meu emprego é completamente desvalorizado e não vai me levar a nada. É pouco remunerado, menos de um salário mínimo. Às vezes, fico de queixo caído. Tenho amigas que cursaram nível superior e estão lá. Para alguém que estudou tanto, é tão depressivo!
Tem uma colega minha, a Fabi que é formada em Bacharel em Pedagogia pela UERJ e trabalha lá.
Imagine eu, formada pela UFRJ, trabalhando naquela porcaria de lugar, ganhando pouco e sem nenhuma meta cumprida?
Esse é o meu maior medo, meu maior pesadelo.
Sempre quis ser Bacharel e apesar de recentemente mudar de ideia. Devido uma atualização do currículo novo, vários cursos a partir de 2010 terão que optar por Licenciatura ou Bacharelado. Mesmo optando por licenciatura que inicialmente não queria, quero sugar tudo. Quero poder me especializar, estudar, tirar notas boas. Ler muito, escrever muito, dar muitas aulas. Eu tenho sede e não quero ser "mais uma na faculdade". Eu quero ser A aluna. Não quero ser a mais perfeita, nem a melhor.
Mas quero ser boa no que faço. Para que quando estiver formada, tiver visão, praticidade para poder me virar neste mundão de Deus.
Ser uma excelente professora, pois acredito que posso mudar o ensino para melhor, apesar de ser uma grande responsabilidade. Quero ser escritora sim, mesmo que seja impossível. Eu tenho sonhos e a faculdade é uma ponte para tudo isso. Ela te dá conhecimento e basta VOCÊ correr atrás.
Use suas pernas, se torna amiga de algumas pessoas e corra. Sempre.
Fico até aliviada em poder dizer isso tudo. Tiro uma grande peso de mim!