domingo, 28 de novembro de 2010

Scott Pilgrim e a Liga dos ex sete namorados indesejáveis.


A melhor coisa de Sábado à noite até agora foi assistir ao Filme: Scott Pelgrim e a Liga dos ex sete namorados terríveis de Ramona Flowers. Peço mil desculpas, mas assisti ao filme através da internet e só fiquei sabendo desse filme por causa de uma crítica que dizia que este filme se baseou em uma HQ. Então se o nome do filme estiver errado não me condenem, por gentileza. Sou uma simples mortal.
O enredo em si parece ser muito interessante: Scott Pelgrim vivido por ninguém mais, ninguém menos do que Michael Cera (aquele de Juno) é um cara descolado, roqueiro que se apaixona por Ramona Flowers depois de viver uma desilusão amorosa e tentar envão namorar uma adolescente de segundo grau chinesa. Sendo que para ficar com Ramona, ele precisa enfrentar os ex sete namorados recalcados que não aceitam que ela siga em frente. A tal Ramona nem é nada demais, só é uma roqueira que muda a cor do cabelo toda hora e fica no canto com a sua cara de apática ou “daria tudo para não estar aqui”. O que me deixou um pouco confusa, porque nunca consegui lidar direito com pessoas que não demonstram reações. Só que foi engraçado. Digamos que este filme é uma “Comédia alternativa” e estava precisada de um bom filme. O filme é muito bom, me diverti pacas e é bem roqueiro. Coisa que amo, aliás.
O filme é bem surreal, mas é uma proposta interessante para quem curte coisas novas, rock, quadrinhos e referências pop. O ponto alto foi quando ao fundo pude ouvir uma música do Blood Red Shoes. Pra quem curte música alternativa, é uma boa. Depois de assistir ao filme me deu a maior vontade de baixar várias bandas.
E além do mais, é um ótimo programa para Sábado a Noite.
Agora voltando a realidade, infelizmente.

domingo, 21 de novembro de 2010

Quando a fantasia é bem real.


Um dos meus maiores pecados como leitora é julgar um livro pela capa ou julgar um livro pelo que ele "aparentemente" parece ser. Foi assim com "Diários do Vampiro”, "Dom Casmurro" e “Sussurro" da autora Becca Fitzpatrick.
Quando vi este livro pela primeira vez, as comparações com Crepúsculo foram inevitáveis. A descrição na contracapa parecia mais um exemplo de livros que seguiam aquela linha e estava de saco cheio. Abri a boca e disse que:
- NUNCA vou comprar esse livro!
Estou no capítulo 28 do livro e me arrependo amargamente de ter dito isto. Além da minha opinião ter mudado, a história se mostrou muito mais interessante do que imaginava.
Para começar, a Personagem principal Nora Grey não é lesada nem idiota. É uma garota normal que participa do e-zine da escola e está focada em conseguir vaga em uma das maiores universidades do país. Ela nunca se interessou por nenhum garoto da escola, não porque eles não gostam dela, mas sim porque ninguém chamava a sua atenção.
Tudo muda no dia em que seu professor – treinador muda os lugares na aula de Biologia (RS) e Nora Grey passa a sentar ao lado de Patch, o novo aluno com ar de Bad Guy e encrenqueiro.
A grande questão do livro é que o protagonista está longe de ser um cavalheiro perfeito como Edward Cullen, ele está mais para Dado Dolabela (só não bate em mulher). O que mais me prendeu, foi o fato de um cara tão “canalha” se aproximar de uma garota que é oposto dele.
Foi a partir daí que comecei a entender o encanto que há entre duas pessoas completamente diferentes. Mais ainda, Patch me faz lembrar muito uma pessoa que conheci no passado e sempre representou o meu “fraco”.
Cada capítulo, você vai se apaixonando mais e mais. Não é um enredo puramente romântico, tem toda uma história envolvida. Patch, nada mais é, do que um anjo caído. Tirem da cabeça aquelas imagens belas e angelicais. Patch é um anjo que foi expulso, pois desejava ardentemente ser humano. Ele se apossa do corpo se humanos no período de “Cheshvan”. Por que ele fez isso? Por causa de uma mulher, é claro. Ele está longe de ser um homem bom, mas Nora Grey representa para ele uma oportunidade de se redimir. Foi então que compreendi.
Geralmente esses caras maus se sentem atraídos por garotas opostas porque elas significam tranqüilidade e paz. Coisas que eles não possuem e necessitam profundamente.
A história em si pareceu ainda mais incrível porque tenho uma amiga que tem um rolo tipicamente Patch e que a aconselhei mil vezes para se afastar dali. Lendo, vi minha amiga retratada no livro.
Li algumas resenhas do livro na internet é todos os críticos disseram que “Sussurro” retrata nada mais do que um romance adolescente para enfeitar as páginas. Discordo porque nunca um livro me deixou com tantas perguntas na cabeça. O enredo é de tirar o fôlego e não se prende unicamente a amor. Aliás, tem muitos rapazes que são fãs, foi que percebi nas comunidades do Orkut (se bem que isso não quer dizer nada né? Rs).
Não posso dizer muita coisa, mas ao ler percebi que muitas perguntas serão respondidas no segundo livro da Série que espero anciosamente. Além de uma história de amor, é também uma historia de forte suspense.
Anjos nunca se mostraram tão sexies e irresistíveis. Camisa preta, jeans e botas de cano alto. Nunca quis tanto um anjo desses para ser meu protetor.

sábado, 13 de novembro de 2010

Depois da maré


Depois de um tempo sem vida social, volto aos poucos para o meu lazer. Não tem sido fácil, eu confesso. Estudar, trabalhar e ter vida social não me permitem ter tempo para internet. Nada é para sempre. De modo que de vez em quando estou livre para fazer o que bem entender, volto para o vício.
Mesmo que tenha que dormir, comprar presentes para o chá de bebe amanhã e seminários para fazer ; estou aqui as 22: 37 fazendo o que melhor faço: Escrever.
Passei um tempo meio iludida e tentando me anular. Por causa das provas que estavam chegando decidi me concentrar só para elas e meio que deixei tudo de lado.Tive essa ideia besta porque conheci muitas pessoas que abdicavam das suas vidas por notas, provas e trabalho.
Aprendi que hoje em dia não faço mais isso. Fiquei tão obcecada que não consegui me sair bem nas duas coisas. Até tirei notas altas, mas em algumas matérias além de ter tirado 2,5 consegui zerar alguns trabalhos.
Eu devia ter previsto que isso de se anular não serviria para mim. Poderia servir para qualquer outro idiota.Só que não consigo deixar de lado o meu prazer. Não consigo deixar de ver TV até tarde mesmo sabendo que tenho prova no dia seguinte. Não consigo deixar de comer chocolate porque me dá espinha e não consigo ficar sem escrever só porque não tenho tempo. Decidi parar de me anular e deixar o barco correr. Sem medo, sem pressa.
Agora posso me dar o luxo de cantar a plenos pulmões "So contagious" da Avril Lavigne. Cansei de ter que aturar Professora de faculdade que não posso nada.Cansei do meu trabalho dizendo que devemos ser assim e assado.
Nunca fui perfeita e não será agora com vinte anos na cara que irei mudar. O tempo passa e aprendemos muita coisa. Tenho planos, sonhos e muita garra. E isso não irá mudar. O mundo pode estar corrompido de um monte de coisas ruins, só que EU faço o meu mundo!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Não merece o doce, quem não provou do amargo.


Ontem vim chorando no ônibus. Parecia que iria chover e me perguntava o que houve com a minha vida. Por que determinadas coisas acontecem conosco? Será que merecemos ou faz parte do kit “Experiências”?
Tenho apenas vinte anos e uma das minhas maiores características é ser sonhadora. Quando estudava no pré- vestibular sonhava o que seria passar para a faculdade de letras e poder viver enfim o meu sonho.
Ao entrar lá vi que nada é daquilo que sonhei. Faço parte da turma de Literatura Brasileira e além das matérias serem super chatas, só estudarei Literatura no quarto período. Antes, eu até pensava em ser Bacharel, ser professora acadêmica.
Hoje em dia tudo isso caiu por terra. Descobri que terei que escolher entre Licenciatura e Bacharelado. Obviamente por grana escolherei o primeiro. Para ser Bacharel é necessário saber que não tem retorno financeiro, de modo que tem que contar com a ajuda financeira de alguém e acima de tudo, ter um professor que lhe inclua na pesquisa dela. Essa última é a parte mais difícil.
Os professores da minha faculdade podem ser inteligentes e doutores. Só que são pessoas arrogantes, metidas e nos tratam como se fôssemos analfabetos menores que formigas. Uma professora até logo no início das aulas disse que podemos nos preparar para sermos professores, pois não conseguiremos ser tradutor, revisor e escritor. Isso foi um choque de realidade.
Esse é um dos motivos pelo qual não posto com tanta freqüência. Além de não ter tempo, porque preciso estudar e trabalhar. Todos na minha sala meio que entramos em um inferno Astral e não conseguimos escrever.
E eu sinto raiva disso. Antes eu era uma pessoa tão idealista, tinha sonhos que me moviam e agora estou estagnada. Estou me permitindo apenas viver, sem poder me dedicar aos meus livros, sem conseguir estudar e me concentrando apenas em estudar.
Voltando do trabalho fiquei com raiva de tudo. Queria me isolar, escrever o dia inteiro e viver disso. Por que para algumas pessoas as coisas são tão fáceis? Nem dinheiro para comprar um tênis tenho.
Tenho que pagar as minhas contas, me matar de trabalhar para receber menos de um salário mínimo, escutar as lamúrias da minha família que não sabe da minha carreira de escritora e muito menos apóia.
Nessas horas tento ser forte, me lembro da pessoa que era, dos sonhos que tenho, dos meus projetos, dos meus amigos que são a minha família e conhecem o meu sonho. Me lembro do meu namorado que me dá todo o apoio do mundo. Me lembro de pessoas que ralaram, mas conseguiram realizar seus sonhos como J.K Rowling, Charles Chaplin, Stephenie Meyer, André Vianco, Pitty, tantas pessoas ...
Tento guardar para mim que tudo isso que passo são experiências e que futuramente posso olhar para isso e ficar orgulhosa. Às vezes essas pessoas que tem tudo fácil, não dão valor e nem são felizes.
A vida não é fácil para todo mundo, só estou tentando trilhar o meu caminho. Por mais impossível que pareça.