sábado, 12 de março de 2011

Milhas de casa

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade


Crescer é uma tarefa imensamente difícil.
É triste perder a inocência que há dentro de cada pessoa. A realidade não é encantadora e a vida não é um conto de fadas.
A vida podia ser menos complicada e o ser humano um pouco menos egoísta.
Eu perdi a inocência que vivia dentro de mim, eu não sei se isso é bom ou ruim. Acabo esperando qualquer coisa de qualquer pessoa. Nada mais me surpreende.
Quando você cresce – usarei uma fase clichê- descobre que a vida não é um mar de rosas. Sua mãe não é tão perfeita assim, ela tem vícios e seu pai não é tão feliz quanto pensava. Você descobre as discussões de relacionamentos e traições de amigos.
Crescer é ter responsabilidade, arcar com as conseqüências, pagar contas, acordar cedo, não depender de pai e mãe, é trabalhar, é sofrer. Crescer é ir pra rua e dar a cara pra bater.
Crescer é cruel, complicado e você derrama mais lágrimas que um bebê. Descobre que as pessoas não são perfeitas, aprende a não confiar nelas e contar apenas consigo mesma.
Aprende a se decepcionar. Decepção dói, sangra, marca, cicatriza, mas ensina. Você cai e levanta. Seus joelhos te tornam mais fortes e descobre que o amor próprio é a maior coisa que existe dentro de você.
A rua se torna a sua casa, a sua casa se torna uma estranha para você. E você sente falta das coisas como eram antes.
Quando você cresce, perde algo que não sei explicar. Você não vê o mesmo brilho em algo que um adolescente vê. É como se, por exemplo, algo não seja mais novo pra você. Você já assistiu aquela mesma cena infinitas vezes.
Eu queria ser adolescente eternamente. Eu sei que uma parte minha continuará a ser a mesma, mas a outra parte nunca mais será a mesma.
Você aprende a ser responsável por si mesmo e aceitar as pessoas como elas são verdadeiramente.
Aprende que a vida tem um gosto amargo e que cabe a você saber dosar para poder viver bem.
É, um dia após o outro! É duro acordar e saber que nada mais será como antes.

3 comentários:

  1. Oi Ju,

    Menina, já te vi em dias mais animados! Cadê?

    Eu não sei, crescer não pode ser tão amargo assim, pode? A vida pode fazer isso com a gente, mas a essencia fica. É só deixar um pouco do doce entrar, aproveitar, sorrir, rir. Dar menos importancia aquilo que nos machuca tanto.

    Fique bem.

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Desculpa a expressão, mas crescer é uma merda! Estou com quase 18 e como eu queria voltar a ter 12. Ou voltar para meu ensino médio. O futuro dá muito medo! ;x

    Ameeeeei *-*
    Obrigadão pela visita, espero que volte mais vezes, viu flor?
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu penso igual.. Nossa, naqueles momentos de estresse, em que você precisa decidir o que fazer na hora, eu penso como era bom ter o colo da mãe e o pai pra decidirem as coisas difíceis por você! Onde estudar, a roupa, até mesmo seu corte de cabelo! Crescer não é fácil e dá muita saudade dos tempos da adolescência! xD

    Pois é, muito bom estar apaixonada! hehehehe.. mas aquele post não tem nada a ver com meu namoro viu! Graças a Deus! ^^

    bjusss

    ResponderExcluir