sábado, 5 de março de 2011

Uma nova página.


Durante muito achei que sabia tudo sobre a vida.
Depois de algumas semanas que pareceram décadas - depois de tomar umas porradas da vida - enxergo a vida de um jeito completamente diferente.
Uma parte de mim comemora isso e outra lamenta.
Eu perdi a inocência que tinha dentro de mim, a parte boa que queria tanto cultivar. Eu não sei se isso é bom ou ruim.
Eu fiquei durante algumas semanas perdida, mas me diverti muito. Conheci outras pessoas e aumentei meu círculo de amizades. Quando olho pra trás, penso que alguém se apossou do meu corpo, mas hoje vejo que “tudo aquilo” era algo que precisava passar.
Só eu sei o quanto doeu, só eu sei o quanto saí mais forte dessa.
Durante esse tempo me afastei de muita coisa.
Eu tinha medo de me entregar a tudo aquilo que amava e ser rejeitada.
A vida não é fácil, descobri que ela é muito difícil.
O ser humano é ruim e só pensa no seu próprio umbigo. Ele não se importa se você está na fila do banco cansado ou se você precisa daquele lugar no ônibus.
Eu tomei mais nojo das pessoas e passei a valorizar os animais. Eles são bem mais sinceros a sua natureza do que o homem.
Hoje eu vejo a vida de outro jeito e quero levá-la bem mais levemente. Eu quero paz no meu coração, quero viver uma vida tranqüila – quem sabe em uma fazenda ou em frente à praia.
Muita coisa fútil perdeu importância para mim, apaguei muitos fantasmas da minha vida e muitos sentimentos que tenho até vergonha.
Ninguém é propriedade de ninguém. Somos todos livres, eu sou livre. Se sou dona de algo, é do carisma, carinho e amor que plantei no coração de algumas pessoas.
Me arrependo sim de algumas coisas que fiz, mas infelizmente não posso voltar atrás. A vida é como um livro e certas coisas não podem ser apagadas. Não se pode voltar no tempo.
Agora é momento de recomeçar,
E outra que custei pra aprender, mas a ficha caiu: “Ninguém pode transformar ou mudar a nossa essência, somos o que somos ou como os Engenheiros do Havaí dizem – “Somos quem podemos ser”.
Não podemos fugir de quem somos.

3 comentários:

  1. Ju como a vida tem mexido com vc.. Mas só assim que aprendemos, ou realizamos alguma coisa... Já passei por momentos parecidos com seu ralato..

    Fique e viva sempre bem, dando o eu melhor!

    Beijos e beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Juliana!

    A gente endurece, a vida nos faz endurecer. Mas cuidado, não perca a leveza.

    E seja o que for que tenha acontecido na sua vida, não deixe que isso estrague a sua felicidade, delicadeza, e a fé nas pessoas.

    Nem todo mundo é monstro.

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Somos definitivamenteo que podemos ser, o que realmente somos. Não adianta fantasiar umfalso ser porquemais dia ou menos dia , a gentevê quem é quem .

    Teamooooooo JU

    ResponderExcluir