sábado, 11 de junho de 2011

"A casa vazia"

O que fazer quando se procura alguém e ele não está mais lá?
É quando o tempo passa, a vida muda e perdemos a inocência de que seremos para sempre felizes.
Não ver ninguém que fez parte do seu passado, sentir o vazio, os móveis fantasmas, as lembranças que nunca serão esquecidas e sobreviverão na memória e a dor de ter perdido alguém que se foi e nunca mais voltará.
O que é se sentir sozinho?
Saber que nunca mais ouvirá o som da sua voz, a gargalhada e as broncas. É tão estranho pensar que uma hora você existe e outra não está mais lá. Como se apaga alguém assim, tão de repente? Impossível.
A existência é algo tão rápido e intenso, deixa marcas inesquecíveis.
Sem você, é como se eu estivesse em um quarto sozinha sem os móveis, sem cama e sem armário. Só estaria eu em pé sentada no meio do cômodo esperando por alguém que não me encontrará.
Quando alguém vai embora, as coisas perdem sentido e fica a sensação de que nada será como antes. Ter de aprender a conviver com a falta, a carência que a partir daquele determinado momento será eterna.
É dolorosa a estrada do amadurecimento, aquela que descobrimos que a vida é um tanto amarga e deveras infeliz.
E nos meus olhos estarão gravados para sempre a última vez que lhe vi, para quando sentir saudade e você não estiver mais aqui, não me sentir tão só.

- Texto escrito inspirado no livro “Rumo ao farol” de Virginia Woolf.

Um comentário:

  1. faço idéia de como é essa sensação. não perdi muitas pessoas, mas essas poucas foram suficientes para me deixarem deveras confusa. a morte e a partida são coisas que eu procuro não tentar explicar, porque doem demais. melhor deixar isso nas mãos do Criador.

    gostei da comparação que você fez entre a solidão e a casa vazia. foi assim mesmo que me senti, e nunca consegui expressar em palavras.

    saudades suas.

    ResponderExcluir