sábado, 23 de abril de 2011

Carpe Diem


Nas últimas semanas nem respirei. Era muita informação para assimilar. Volta a faculdade, pilhas de xerox, trabalhos, seminários, provas e ainda por cima o meu trabalho escravo que me sustenta - vulgo Telemarketing. Esqueci de citar família, namorado, amigos e hã, eu.
Sim, eu também preciso me cuidar. É por isso que passei os últimos dias lá fora vivendo: dandos umas voltas por aí, assistindo comédias romanticas, filmes de universo fantástico, curtindo a noite carioca,lendo Mitologia Grega e tomando caipirinha.
Além disso tudo, o chato é que vejo os meus amigos pouco, trabalho muito, não leio mais os meus livros - só os da faculdade e ainda por cima tive que parar com o meu tão sonhado projeto, o meu "baby livro". Espero anciosamente que na primeira oportunidade possa me dedicar. Nem que seja por um dia ou nas minhas férias de Julho. Tive umas ideias muito loucas e fiz amizades com pessoas muito inspiradoras.
Nisso tudo, só confirmei aquilo que já sabia: sou uma contradição ambulante. Claro, eu sou aquariana né? Aquela que não desiste e não parece ser tão elétrica, mas é.
Quem me acompanhou em toda essa loucura foram Bob Marley, Los Hermanos, Yanou, Enrique Iglesias e o Romance Frances O pai Goriot de Balzac.
Tanta coisa acontecendo, ainda bem que tenho espaço pra viver, amaar, errar e aprender.
Porque eu quero muito aproveitar o momento e se não for agora. Quando será? Eu tenho 21 anos e o tempo passa voando.

O pouco que sobrou - Los Hermanos

domingo, 3 de abril de 2011

Mulher de Fases

"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de SENTIR, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca."


(Clarice Lispector)




Eu não sou mais a mesma.
Se eu omitisse isso, estaria sendo desonesta comigo mesma. Como sou de aquário, tem certas verdades que não tem como controlar.
Não sou do tipo que mente, só pra ficar bonito ou convencer outro alguém.
As aulas na faculdade recomeçaram e pressinto que este semestre vai ser diferente. Diferente de todos os outros, tem tanta coia diferente. A começar por mim...
Já não tenho tanto medo assim, sinto vontade de me jogar e deixar a onda me levar, como sempre sonhei.
Mesmo com pouco tempo, estou me permitindo viver mais. Tenho apenas vinte e um anos e o tempo voa. Não volta atrás.
Não sei se estou no caminho certo, sei que foi esse o caminho que escolhi.
Eu agora sou livre. Livre de rótulos, pessoas,música, tudo.
Eu posso finalmente ser quem sempre desejei ser, sem medos. Amadurecer é reconhecer que aquele tempo se foi.
Esse novo tempo pode ser melhor ainda, só basta eu permitir.
Desculpa se não sou mais aquela garotinha que voce conheceu, eu cresci e só quero viver.