sábado, 24 de setembro de 2011

A princesa da Torre mais alta


Durante muito tempo fiquei presa. Até que um dia, um homem de olhos pequenos me libertou da torre mais alta – que era o lugar onde morava. Desde então, minha vida mudou.
Eu morava naquela torre, onde era impossível fugir. Eu tinha medo de sair e cair feio, pois a queda seria muito alta.
Lá era mantida refém por bruxas más e feiticeiros ruins. Era proibida de sonhar, desejar e ser quem eu sou. Nem sabia o que era liberdade, mas ela vivia nos meus pensamentos. Tudo o que eu gostava era considerado ruim e eu era a piada daquele lugar, segundo eles. Estava acostumada a ser considerada alguém que não prestava.
Eu morava com pessoas sofridas, tristes e que gostavam de acabar com a esperança na vida das pessoas. E todos os dias quando acordava e via o pôr do sol da pequena abertura da minha torre, sonhava em conhecer o mundo, ir embora dali e nunca mais voltar.
Um dia, em uma noite um tanto quente, estava sozinha na minha torre e vivia imaginando em como o mundo era. E de repente, lá fora começou a ventar muito forte, a ponto de me assustar. E quando vi, lá estava ele me encarando com seus olhos tão pequenos, mas libertadores.
Ele usava uma capa preta e uma máscara de mesma cor. Ele sorriu para mim e disse que iria me tirar dali. Ele abriu mais a abertura da minha torre e pude olhar lá fora. Havia uma floresta imensa ao meu redor, linda e de tirar o fôlego.
E eu ali, presa. Isolada do mundo, da vida e das alegrias e assim que meus olhos bateram nos deles, eu senti vontade de amar, sonhar, sorrir e viver sem pensar no depois. Eu queria me entregar por completo.
Ele se apresentou e disse seu nome e eu fiz a mesma coisa. Ele estendeu a mão e perguntou se eu gostaria de ir com ele, viver aventuras pelo mundo em busca da felicidade.
Sem pensar duas vezes, eu puxei a sua mão e aceitei. Nossos olhos se encontraram e rimos. Ele me abraçou e disse que estava muito tempo me procurando.
“– É um alívio te encontrar”.
Emocionada, sorri. Ele me olhou no fundo dos olhos e me beijou. Uma sensação completamente infinita irradiou de mim.
“– Vamos?”
“– É claro, eu não via à hora disso acontecer.”
Então partimos. Agora eu estava livre para conhecer o mundo. Todas as suas belezas e feiúras. Agora eu podia desfrutar dos sonhos, da vida, do amor, das alegrias sem ninguém para me atrapalhar. A noite estava linda e se ser livre era sentir essa intensa sensação de felicidade, eu vou querer ser assim para sempre.


Autoria: Juliana Dee Skwara


- Para ler ouvindo:

Stop Me (International Version) do Mark Ronson, música ORIGINAL do The Smiths.


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

What You Want

Por Evanescence







O que você quiser

Faça o que, o que você quiser
Se você tiver um sonho
Faça o que, o que você quiser
Até não querer mais (lembre-se de quem você é)

Faça o que, o que você quiser
O seu mundo está desabando sobre você (ainda não acabou)
Levante-se e encare o desconhecido
Você tem que lembrar quem você realmente é

Todo coração
Nas minhas mãos
São como um pálido reflexo

Olá, olá, lembra de mim?
Sou tudo que você não pode controlar
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de acreditar
Que podemos nos libertar

Faça o que, o que você quiser
Você não precisa desistir da sua vida (ainda não acabou)
Faça o que, o que você quiser
Até encontrar o que procura
(você deve lembrar quem você realmente é)

Mas toda hora
Que passa
Grita dizendo que eu fracassei

Olá, olá, lembra de mim?
Sou tudo que você não pode controlar
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de acreditar

Olá, olá, lembra de mim?
Sou tudo que você não pode controlar
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de acreditar

Ainda há tempo
Feche os olhos
Só o amor pode guiá-lo para casa
Derrube as paredes e liberte as nossas almas
Até cairmos, para sempre iremos...
Cair, cair, cair, cair

Olá, olá, sou só eu
Contaminando tudo que você ama
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de acreditar

Olá, olá, lembra de mim?
Sou tudo que você não pode controlar
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de aprender a perdoar

Olá, olá, lembra de mim?
Sou tudo que você não pode controlar
Em algum lugar além da dor
Deve haver uma forma de acreditar
Que podemos nos libertar

Lembre-se de quem você realmente é
Faça o que, o que você quiser




Sabe quando você procura uma música que traduza o que você sente, sonha, busca e que vive dentro de você e não consegue se expressar? Eu descobri essa nova música do Evanescence que é uma das minhas bandas preferidas desde sempre e me emocionou bastante. Talvez seja por conta do período que estou passando, de retomar tudo aquilo que deixei de acreditar. O que posso dizer é que a letra dessa música foi um tapa na minha cara. O novo cd do Evan está absurdamente perfeito e me arrisco a dizer que é o melhor. O clip, como visto, também ficou muito bom. Espero que essa música toque vocês, como me tocou. Fazia tempos que não tinha esse sensação gostosa dentro do peito ao ouvir uma canção. E posso dizer que não sou mais a mesma depois disso.
Apreciem, enlouqueçam, sonhem e sejam!!!

domingo, 18 de setembro de 2011

Semana Que Vem

Por Pitty




- Essa é uma das minhas músicas favoritas e diz tanta coisa sobre mim. Me acompanha desde pirralha e traduz bem o estilo de vida que levo. Sou Pittymaníaca e sinto muita falta daquela época. Eu era mais resistente nas minhas quedas e tinha mais garra em meus sonhos. Eu preciso continuar a seguir e acreditar naquilo que tanto quero ♥


Obrigada Pitty por ajudar a encontrar o meu caminho. Eu te amo, minha diva!






Amanhã eu vou revelar
Depois eu penso em aprender
Daqui a uns dias eu vou dizer
O que me faz querer gritar

No mês que vem tudo vai melhorar
Só mais alguns anos e o mundo vai mudar
Ainda temos tempo até tudo explodir
Quem sabe quanto vai durar

Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar

A partir de amanhã eu vou discutir
Da próxima vez eu vou questionar
Na segunda eu começo a agir
Só mais duas horas pra eu decidir

Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar

Esse pode ser o último dia de nossas vidas
última chance de fazer tudo ter valido a pena
Diga sempre tudo que precisa dizer
Arrisque mais, pra não se arrepender
Nós não temos todo o tempo do mundo
E esse mundo já faz muito tempo
O futuro é o presente e o presente já passou
O futuro é o presente e o presente já passou

Nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Nada pra depois, não deixe o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Eternamente


Ela agora estava sozinha.
Já tinham se passado muitos meses desde que se tornou tão só. Só de lembrar sentia uma dor aguda dentro do peito.
Tentava ignorar tudo ao seu redor, mas não tinha como. Nada seria como antes. A vida não tinha o mesmo sentido para ela agora. Olhava o pôr do sol, casais sorrindo e sentia inveja. Se isolava do mundo ao observar situações de felicidade.
As pessoas lhe olhavam com pena, como se quisessem pegá-la no colo e acalentá-la. Era tudo o que queria, e por mais que sofresse não dava o braço a torcer.
Só que faltavam sorrisos e não estava enganando ninguém. Agora ela era imensamente infeliz.
Antes fosse um término de namoro ou uma nota baixa. Só que isso não tinha volta, era irreversível.
Lá se foram seis meses que ele havia partido, e dito que retornaria. Nunca se sentiu tão sozinha, pois tinha a sensação de que ele era o único que a conhecia melhor que ninguém. Ele sabia quando estava feliz, quando estava mentindo, quem era seus ídolos preferidos e comida que lhe agradava mais. Ela não precisava dizer nada na frente dele, pois ele conseguia decifrá-la. Tantos os seus defeitos quanto as suas qualidades, ele sabia de có.
E ela sentia muita falta dele, por inteiro. Desde o sorriso, o olhar, a voz, o cheiro e o toque da mão dele na dela. Ela dava tudo no mundo para senti-lo por apenas cinco minutos.
E já fazia muito tempo em que ele partira sem dizer adeus. Ela o esperou e ele nunca mais voltou.
Justamente agora que ele havia encontrado uma oferta de emprego melhor e depois de tanto tempo juntos podiam pensar em casamento.
Seus pais lhe colocaram na terapia. Todo dia, o terapeuta perguntava : “- Como se sente?”
E ela não respondia, por que o que iria responder?
Ela era jovem, feliz, tinha tudo pela frente. Sonhos e planos. Então um belo dia, seu namorado com quem estava marcando casamento morreu em um acidente de carro. Como acha que ela se sentia?
A dor era a sua mais nova melhor amiga. Suas amigas lhe faziam companhia, mas era como se ninguém estivesse ao seu lado. Não ouvia, não falava e quase não comia.
Ela ia aos lugares que eles iam e a noite esperava ele chegar. Acreditava de que alguma forma, pelo outro lado, ele poderia dar boa noite.
Era estranho, por mais que tentasse aceitar a morte dele, não conseguia. Ela vivia como se ele estivesse longe, não se comunicasse e fosse voltar. Indiretamente todos os dias esperava. Ligava para o celular dele e olhava as fotos. Ela sentia como se fosse dele e o amaria eternamente. Era uma viúva.
E ela se olhava no espelho, mas não via nada. Porque na realidade, ela também tinha morrido para a vida.
E vivia um dia após o outro de forma mecânica como um robô. Ela havia perdido a sensibilidade da vida. Pobre menina, tão jovem e tão cheia de dores da vida.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Eu



Por Pato Fu


Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim

Quando acontece um grande amor
assim como você e eu
o tempo passa por nós dois
não lembro o que aconteceu

Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim

Mas nem por isso vou ficar
a questionar os erros meus
Você precisa procurar
Achar o que você perdeu

Eu...queria tanto encontrar
Uma pessoa como eu
A quem eu possa confessar
alguma coisa sobre mim



- É uma música que tem me inspirado para escrever meus livros e além disso, passa a mensagem de algo que sempre quis. Alguém pra dividir tudo o que eu sou. Espero que gostem, pois esta música tem rendido muitos capítulos e novidades que espero poder compartilhar futuramente com vocês!