segunda-feira, 12 de março de 2012

A caminho




Já parou para pensar quantas coisas você começou e não terminou? Ou então, como a sua vida poderia ter sido? É, me peguei pensando nessas coisas um dia desses e elas me fizeram um bem danado.
Sempre admirei a capacidade de algumas pessoas fazerem planos e conseguirem concretizá-los. Durante muito tempo na minha vida - apesar de tudo - fiz muitos planos.
Grande parte deles não deu certo, alguns deu a calhar de dar. O importante nisso tudo é que descobri que já não me importo tanto com isso. Porque na verdade, sei que as coisas tomam o rumo que devem tomar.
Aos dezessete anos, planejava morar no Brasil. Só que conheci uma pessoa e tudo mudou. Planejava ser acadêmica e ser uma professora respeitada no meio, hoje percebo que estou longe de ser. Queria ter certos amigos, os quais nem vejo mais.
"Se não deu certo, é porque não era para ser". Essa frase é muito clichê, mas ela resume bem as voltas que a vida dá. E me sinto tão bem em pensar dessa forma. Mesmo que algumas pessoas me recriminem por isso, me sinto aliviada, em paz comigo mesma.
A gente envelhece, se torna adulto e descobre que a vida é um eterno ciclo. Por ora, alguns abrindo e outros se fechando. Houve uma época em que não os aceitei e não queria respeitá-los.
Só que hoje compreendo isso sendo algo comum. Não podemos lutar contra isso, isso é a vida. Estas são as lições que ela nos dá.
De uma certa forma, estamos todos nós, todos os dias nascendo, crescendo e morrendo. Não nada anormal isso. Isso é a natureza seguindo seu fluxo.
Os anos passam, as pessoas mudam. Eu mudei e me orgulho demais por isso. Isso me dá um gás a mais para cumprir minhas metas, meus sonhos. Um gás a mais para começar a semana.
Aquilo que vai embora, as deixo ir sem melancolia, já que sinto a sensação de dever cumprido.
Sou muito nova e sei que tudo só está começando. Mas agradeço a Deus por viver tudo isso e me mostrar o quanto o nosso dia a dia pode ser rico.
Eu não tenho todas as respostas para as perguntas que quero, mas tenho a leveza e esperteza de tentar desvendá-las.
Não sei porquê, mas esses últimos dias tem sido revigorantes. E saio disso tudo renovada.

7 comentários:

  1. Parece que tudo muda o tempo todo, ne? E às vezes, quando achamos que realmente amadurecemos, vem um vendaval, ou mesmo uma brisa e nos faz cair novamente. E depois de cair, levantamos! A eterna aprendizagem de viver :)

    Beijos, querida.

    ResponderExcluir
  2. E a vida continua a fluir com ou sem a gente...

    ResponderExcluir
  3. Ju, seu post é uma ode aos nossos eternos renascimentos. Ao que devemos deixar quieto para que, assim, consigamos sair mais fortes de cada coisa, até daqueles que já nos parecem estagnadss. Bem "Oração ao tempo" seu lindo post..adorei querida! ;)

    ResponderExcluir
  4. Vi muito de mim agora nesse texto.Essa inconstância arrebenta com a nossa expectativa.A realidade é assim,nos ensina de forma lenta e dolorida.Mas o que importa é que quero ter,pelo menos,paciência para terminar o que comecei.É desse jeito que as coisas se ajeitam,nossos sonham se acomodam nem que seja no finalzinho.

    ResponderExcluir
  5. Tudo muda o tempo todo e a gente na maioria das vezes tem que mudar junto, isso parece um tanto assustador, mas não é, a cada segundo ganhamos novas opções e as escolhas mudam, não gosto de planejar minha vida, tenho algumas metas que eu realmente sei que quero seguir e por elas eu não mudo.
    -
    ps: comecei o cursinho essa semana que passou, to em semana de prova na escola + entregas de trabalho, minha vida anda tendo só 10 horas e não consigo me organizar nisso... Mas vou tentar não me perder daqui... Vou ler o outro texto, Fica bem.

    ResponderExcluir
  6. Que texto bonito, menina, motivador :)

    É isso, a gente não pode se prender às coisas, aos fatos. Podemos aprender com eles. Tudo se renova; faz bem saber encarar e aceitar o novo.

    Quanto tempo, moça? ;}

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Ju, quanto tempo! Tudo bem com você? Poizé Ju, acho que seu post define bem a "metamorfose ambulante" que cada um de nós é, inevitavelmente. Como você disse, são essas mudanças que nos revigoram e nos dão forças para sonharmos novos sonhos ou insistirmos naqueles que há muito sonhamos.

    Beijos!

    ResponderExcluir