sábado, 25 de fevereiro de 2012

Quem é a beleza?


A beleza não tem cor, nem idade e nem nome. A beleza é ser livre sem se importar com a opinião alheia. A beleza é uma menina de óculos fundo de garrafa que lê Fallen escondida embaixo do lençol durante a noite.
A beleza é não sentir vergonha de ser feliz, é não ter medo de se expor e se jogar. A beleza é envelhecer, ficar com os cabelos grisalhos com um sorriso no rosto.
A beleza é ser nerd, gostar de Star Wars e pedir a noiva em casamento com memes do facebook. A beleza está no casamento entre pessoas de idades diferentes, casais do mesmo sexo e em casais héteros que não sentem vergonha de mostrarem o quanto estão felizes.
A beleza é ter filhos e ser uma mãe brega. A beleza está em um homem que chora com o rompimento de um namoro ao invés de encher a cara com os amigos.
A beleza está nas pequenas coisas. Está em casar, ser um pai durão. A beleza está em não beber, crer em Deus e ser da igreja. A beleza está em ouvir todos os tipos de música e ser feliz.
A beleza está em ser educado com os mais velhos. Ela pode estar em um jovem baixinho bochechudo, uma mulher de cadeira de rodas ou em um rapaz careca que luta pela sua vida a cada segundo.
A beleza está em ser firme em seus propósitos e saber aceitar quando se perde, de quem tem que lutar só mais um pouco para chegar aonde quer.
A beleza está em ser verdadeiro, ser você mesmo. Buscar a sua felicidade e lutar pelos seus sonhos independente de qual seja e claro sem ferir o espaço do próximo. A beleza está em acreditar mesmo quando o mundo tenta te derrubar.
A beleza está em ser íntegro, respeitar a sua natureza e honrar a sua personalidade.
Do que adianta ser belo por fora, ser alto, ter um corpo musculoso, olhos claros, uma linha genética perfeita e não ter uma boa intenção sequer dentro de si?
A beleza pode estar em um "gordinho, baixinho e com nariz de batata*".
A beleza pode ser o que você quiser, basta se permitir.

Texto inspirado no filme genial O primeiro Mentiroso com Ricky Gervais. Só quem viu vai entender a frase "Gordinho, baixinho e com nariz de batata"

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A nossa história


Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir
em casa novamente
Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir completo novamente

Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir jovem novamente
Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir alegre novamente

Por mais longe que esteja
Eu sempre vou amar você
Por mais distante que eu fique
Eu vou sempre amar você
Qualquer palavra que eu fale
Eu vou sempre amar você
Eu vou sempre amar você

Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir livre novamente
Sempre que estou sozinho com você
Você me faz sentir limpo novamente

Por mais longe que esteja
Eu vou sempre amar você
Por mais distante que eu fique
Eu vou sempre amar você
Qualquer palavra que eu fale
Eu vou sempre amar você


Lovesong, The Cure

Meu amor,

Parece que foi ontem que nos conhecemos. Na verdade irão completar sete anos que nos vimos pela primeira vez e nossas vidas viraram de cabeça para baixo. Você era um rapaz simpático e eu uma moça desiludida com o amor.
Você me olhou como ninguém mais me olhou, você sorriu de um jeito que jamais ninguém sorriu para mim e me senti tão importante por isso.
Eu era quieta, tímida, insegura e cheio de medo da vida. Você me fez despertar, me arriscar, andar sem ter medo e poder sorrir outra vez. Nunca imaginei que amar e ser amado fosse algo tão completo, tão incrível a ponto de me fazer sonhar e ter pensamentos tão bregas e tão cheios de clichê. Mas sabe amor, eu me vi pela primeira vez feliz. Aprendemos tantas coisas juntos, superamos tempestades, ciúmes, separações, dores, tristezas. Viramos companheiros de vida e você me ensinou que ainda há sim pessoas que valem a pena neste mundo.
Agora sei que a felicidade só depende de mim e não vou deixar escapá-la das minhas mãos. Há pessoas que nos olham e nos julgam, mas não me importo e nunca me importei. Como li em um texto hoje mais cedo, quem me conhece e me quer bem, irá respeitar a minha felicidade seja ela qual for.
E eu fico tão feliz que não exista mais aquele buraco dentro do meu peito. Que agora ele está completo. Sentir esta sensação dentro de mim é indescritível. Nunca senti isso por outra pessoa. Ninguém me faz sonhar, acreditar no impossível como você. Eu me tornei alguém tão melhor ao seu lado. Mais confiante, mais responsável, mais realizada e tão comum.
A felicidade existe e luto por ela todos os dias. Deus sabe o quanto prezo por isso e dou valor. Teve momentos em que caíram tempestades e senti como se meu mundo estivesse arruinado. Aí eu vi que era apenas uma nuvem escura que estava passando e trabalhei pra deixar o céu limpo.
Lutamos contra inveja, maldade, injustiça, tantas coisas ... Ainda não entendo como existem pessoas que desejam estragar um amor tão puro, tão verdadeiro e que a cada dia mais tenho certeza ser coisa de Deus.
Sonho com véu e branco, ser tua todos os dias, te esperar vir do trabalho para jantar, conhecer seus amigos do trabalho, levar nosso filho pra escola e almoçar com a família aos domingos. Não me importo se irão rir de mim, cheguei a conclusão de que a felicidade é simples. E me contento com tão pouco: com seus sorrisos, seus abraços, seus carinhos. Amo você por ser quem é e sei o quanto me respeita, me conhece e sabe interpretar meus "Aham" como sinal de mau humor.
Quero envelhecer do teu lado, crescer, viajar pelo mundo e fazer aqueles programas tão simples que a gente adora. Ver filme ao seu lado e rir por bobeira.
Obrigada por estar ao meu lado e me fazer uma mulher tão feliz. Quero te fazer o homem mais feliz do mundo, te apoiar em seus projetos e ter toda uma vida com você. Obrigada por me mostrar que meus sonhos são possíveis. Afinal, já estou vivendo um deles.

Te amo, meu amor.
Beijos da sua sereia.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Quando éramos adolescentes


Para o adolescente que vive em mim

Quando éramos adolescentes ouvíamos Immortality do Pearl Jam no fim da tarde, quando o sol ia se pôr. Quando éramos adolescentes, líamos Agatha Christie e sonhávamos com um mundo livre.
Quando éramos adolescentes, matávamos aula no shopping e nos sentíamos os mais incríveis por isso. Tínhamos um amor diferente a cada semana e dizíamos que seria eterno.
Quando éramos adolescentes, gostávamos de conhecer caras mais velhos e para cada dor de cotovelo, uma música diferente. Quando éramos adolescentes, gostávamos de infernizar a vida dos professores e irritar o professor mais gato.
Ouvíamos Pitty, The Smiths, Korn e Evanescence todos os dias, tantas vezes que nossos pais diziam que o disco ia furar. A gente gostava de responder, ser revolucionário e rebelde.
Ler Baudelaire, Lord Byron e escutar Marilyn Manson só pra se sentir o mais diferente da turma. Ser diferente era o que todos queriam, era a nossa cereja do bolo. Com quatorze anos, li Nietzsche pela primeira vez e me apaixonei por The Police. Fiz melhores amigos, desfiz amores e me fiz em mil pedaços.
Punk, indie, gótica, emo. Eu gostava de ser diferente, de causar, de agradar a mim mesma, com aquela inocência de querer provocar e questionar o mundo.
Quando éramos adolescentes líamos Harry Potter e adorávamos tudo o que era proibido. O primeiro cigarro, a primeira bebida, o primeiro amor e a primeira entrega.
Tudo acontecia tão rápido e no final das contas, a gente complicava tanta as coisas. Sofríamos por tão pouco, tínhamos pouco dinheiro e nos divertíamos tanto com isso.
São fotos, apelidos e músicas que embalam aqueles momentos que posso dizer que aproveitei loucamente a minha adolescência. Me apaixonei, ri, brinquei, sofri, chorei e ouvi músicas demais.
The Cure, Garbage, Nirvana, Foo Fighters, Lacuna Coil, Soundgarden, Audioslave, Muse, The Mars Volta, Iron Maiden, Metallica, Guns n' Roses, SOAD e HIM. Sinto falta dos meus momentos escuros que me entendia tão bem e que apesar de tudo, eu tinha a coragem de botar a cara pra bater.
Eu venci, perdi e ganhei tantas coisas. Fui infeliz, perdida e feri o coração de muita gente. Me apaixonei pelas pessoas erradas e fiz amizades com as piores pessoas que pude conhecer.
Queria ter uma banda de rock, aprender a tocar guitarra, terminar logo a escola que odiava. Ser DJ, ir para os Estados Unidos e se casar com um roqueiro alto, loiro e lindo de preferência.
Noites de Florença, Palácio do Rock, bandas covers, Rock 10, rádio cidade e Bon Jovi. Volta tudo outra vez, só um dia para eu sentir como é viver tudo isso novamente.
Coturnos, pulseiras, camisetas de bandas, cabelos coloridos, roupas pretas e esmalte preto. Ser diferente era tão normal naquela época.
Li Lolita, fui no show da Avril Lavigne e passei mal com o meu primeiro porre.
Éramos tão jovens, tão doces, tão ingênuos, sonhadores. Acreditávamos com tanta foça. Queríamos lutar, invadir, fazer as pessoas engolirem a força as nossas causas.
Então, a gente cresce e vira esse adulto que olha pra trás cheio de saudosismo e nostalgia. Você que tanto quis ser maior de idade, descobre que não é lá essas coisas, que dá trabalho, dor de cabeça e que naquela época sim, você era feliz.
Creed, ice, Inglaterra, falar mal das cantoras pop, o sistema e anarquia.
Ah, fui uma adolescente muito feliz!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Anúncio



Mas feliz, feliz, feliz. Uma página inteira feliz. Um livro inteiro feliz. Um mundo inteiro.

(Caio Fernando Abreu)


Eu sou teimosa e não gosto de seguir conselhos. Sigo ao pé da letra o ditado que diz "se conselho fosse bom, se vendia". Sempre achei que cada um sabe o que é melhor pra si.
Gosto de ser independente, não me interesso pela opinião dos outros e gosto de estar certa. Não sou a pessoa mais legal do mundo, mas sou uma boa amiga.
A pessoa que for gostar de mim vai ter que ser pelo o que sou: livre, inquieta e revolucionária.
Não gosto de comodismo e muito menos de rotina. Gosto da estrada, do vento que toca os meus cabelos, pôr do sol de tirar o fôlego e histórias para contar pros meus filhos.
Sou apaixonada por sexta feira, sábado e verão. Odeio domingo, segunda e inverno. Prefiro passar a vida inteira ao lado de alguém do que cada noite com uma pessoa diferente.
Me alimento de música, arte, sonhos, coisas simples e amor, que nunca é demais.
Não gosto de andar em linha reta. Ser perfeito não tem graça.
Te confundo e te faço feliz em sete dias. Vou arrasar seu coração e espetá-lo a facadas quando menos esperar. Não me compreenda mal, sou uma menina - mulher que quando se apaixona "é pra valer". Quero dedicação exclusiva, carinho, namoro as seis e sou ciumenta.
Não preciso de muito para ser feliz, apenas pouco.
Se você souber me receber de braços abertos, irei te receber também.
Não gosto de violência, inveja, falsidade, doença, intolerância, tragédias, drogas e tropa de elite.
Eu gosto de rosa, comédias românticas, músicas que grudem no ouvido como as do Keane, rock, filmes, seriado, dormir agarradinho, Janeiro, simplicidade, sereias e sorriso.
Posso ser a melhor pessoa do mundo se você deixar eu entrar na sua vida.
Só preciso ser acolhida, compreendida, amada, entendida.
Não estou pedindo muito, estou?
Gosto de ser feliz e gosto do cheiro que a felicidade tem. Escrevo e leio. Não exatamente nessa ordem, mas um dia chego lá.
Sou Flamenguista, mas não assisto aos jogos. Amo um baixinho, mas sou alta.
Opostos me atraem e igualdades me distraem. Nem quente, nem frio. Estável.
Preguiçosa, romântica, amiga, querida, caridosa, chata, impulsiva, sonhadora, sem papas na língua.
Ela é um pássaro? Quase, ela é apenas uma aquariana.