sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

[Pipocando] Um beijo roubado



Este post contém altas doses de sentimentalismo


Quotes do filme:

"Adeus nem sempre significa o fim. Às vezes, significa um novo começo"

"Afinal não foi tão difícil de atravessar aquela rua. Tudo depende de quem a está esperando do outro lado."



Já faz um tempo em que estava pensando em fazer uns posts bem legais sobre os meus maiores amores. Fiz isso com os livros, músicas, séries e estava faltando uma coisa: filmes.
 Eu sou apaixonada por filmes, sou viciada em cinema e adoro ficar em casa de "gordice" e assistir meus filmes prediletos.
Eu estava pensando algum tempo em criar uma coluna só para eles, eis que surge o momento. "Pipocando" vai ser uma coluna de filmes, onde darei dicas e falarei sobre os meus preferidos. Então, se você tiver algum pedido ou alguma dica de filme, pode me enviar nos comentários, vou adorar a participação de vocês!
Chega de enrolação e vamos ao que interessa! Minha relação de amor com os filmes começou com o menos óbvio, com os filmes de ação. Depois passei a curtir filmes de aventuras, comédias românticas até que cheguei aos meus preferidos: os filmes intimistas. Costumo dizer que este tipo de filme, que é o que eu mais curto, são aqueles filmes que possuem um enredo fascinante, uma história incrível com passagens muito reais.
Foi procurando filmes desse tipo que conheci os meus preferidos: "Encontros e Desencontros" de Sofia Coppola e o fofo "O fabuloso destino de Amélie Poulain". O lado ruim de gostar de filmes assim é que esse tipo de filme costuma passar em poucas salas no cinema, sendo mais fácil encontrá-lo na internet ou comprando diretamente no DVD.
Meu caso de amor com "Um beijo roubado" começou quando vi a foto acima na divulgação do Jornal e descobri que o elenco era composto por Norah Jones (de quem sou muito fã), o lindo e talentoso Jude Law e a fofíssima Natalie Portman. Só isso chamou muito a minha atenção.
Só que Um beijo roubado é muito mais que isso.
Dirigido por Wong Kar Wai, o mesmo cineasta de "Amor à flor da pele" e "2046", este é um filme sobre o amor, desilusões, recomeços e relacionamentos.
É difícil falar desse filme, porque ele tem muito de mim e eu trouxe muitas coisas dele para a minha vida. Quando assisti me emocionei em várias cenas, porque os personagens e dramas são tão reais, tão comuns que não tem como não se identificar. E quando você vê, se envolveu completamente com o filme.
  Todo mundo já sofreu por amor, já sofreu uma desilusão e teve o coração partido. Aquela dor imensurável que parece não ter fim, onde tudo é uma grande drama queen. Até que chega a hora de recomeçar e passamos a enxergar coisas que não víamos antes. É um filme sensível que reproduz a realidade com delicadeza e doçura.
Um beijo roubado conta a história de Jeremy (Jude Law), um rapaz solitário e dono de um charmoso café que coleciona chaves esquecidas pelos clientes em um pote. Jeremy gosta de guardar as chaves, pois ali há histórias, sentimentos que não podem ser esquecidos. Sua vida muda radicalmente ao conhecer Elizabeth (Norah Jones), uma jovem perdida e com o coração partido.
Na noite em que tudo acontece e na qual eles se conhecem, Elizabeth surge em seu café transtornada. Os dois ficam amigos e Jeremy oferece a ela a única sobremesa que restou no final da noite, aquela que foi rejeitada. Imediatamente Elizabeth se identifica e experimenta a famosa torta de Blueberry que dá nome ao título do filme em inglês: My Blueberry Nights
 Imagine um lindo relacionamento, que você não imagina terminar e parece que vai ser eterno. Imaginou? Agora imagina o mesmo relacionamento vir a baixo, ter o coração partido e ainda terminar da pior maneira possível? É, é isso que acontece Elizabeth.
 Assim que vemos Elizabeth e Jeremy juntos na tela, vemos que os dois são pessoas que sofreram muito por amor e estão desiludidos. E que combinam perfeitamente um com o outro e essa combinação chega a irritar, porque a gente quer gritar para Elizabeth abrir os olhos e ver além do que se vê (Citação Los Hermanos), só que ela não pode.
Já dizia o velho ditado, algumas dores precisam ser sentidas e esse é o caso da personagem de Norah Jones. Ela sabe que precisa recomeçar, que precisa se reencontrar, se redescobrir.
Muitas vezes, quando terminamos um relacionamento de muito tempo temos a sensação de que perdemos a nossa identidade. Essa sensação é normal e acontece, pois passamos tanto tempo junto com aquela determinada pessoa que adquirimos os traços e os gostos dela. Isso é o amor, compartilhar e ceder. Mas é preciso recomeçar e Elizabeth sabe disso.
Ela resolvi ir viajar sem destino, deixando Jeremy louco.
Eu juro para vocês que não acreditei quando ela fez isso, logo com o Jude Law? Mas enfim, não fiquem tristes, vocês não vão se arrepender em assistir o filme.
O filme conta com a participação também da linda e encantadora cantora Cat Power que é um cantora indie alternativa muito conhecida e que por sinal, sou fã (mas isso é assunto para outro post).  Sua participação é muito importante e uma das suas músicas faz parte da trilha sonora do filme. Eu simplesmente amo essa música, me derreto ouvindo e toda vez que a escuto lembro de Elizabeth e Jeremy ♥  Para ouvir, clique aqui.
Durante todo o filme, vemos muitos personagens entrarem e saírem, sempre com uma história que deixa alguma lição para a gente. Lições sobre amor, dores e perdas. Mais real impossível.
Quando terminei o filme, depois de ter derramado muitas lágrimas, tive a sensação de que esse foi um dos melhores filmes da minha vida. Agora eu quero que seja o de vocês. Assistam o trailer e se gostarem, vejam o filme. Depois vou querer saber o que acharam. Não se esqueçam de me contar!





4 comentários:

  1. Apesar de eu ter conhecido gente que se decepcionou com o filme, eu gostei demais. Faz um tempão que o vi, quando ainda estava no cinema, e queria revê-lo, até para lembrar de todos os detalhes. O nome do filme (o original, em inglês) é perfeito.
    Aliás, do diretor, tenho muita vontade de ver 2046. Vez ou outra peguei ele passando em algum canal de filmes na TV, mas sempre estava na metade ou quase no fim, daí eu desistia (odeio ver filme pela metade).

    bjs
    livrolab.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nunca assisti o filme. Deve ser bem legal!
    Ótima crítica! Beijos :*
    Obrigado por comentar no meu blog
    Gabriel-Corações de Neve

    ResponderExcluir
  3. Bah, se tem Jude Law e Norah Jones já quero ver *___________* haha' Mas seu post ajudou a me interessar ainda mais pelo filme, dica anotada <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. caramba...fico pensando em como eu vou gostar desse filme sabendo que o romance acaba e etc... ;__;
    Emilie Escreve ~

    ResponderExcluir