segunda-feira, 1 de abril de 2013

A minha história


Não existe fórmula para escrever. Ao futuro autor que procura regras e profissões que possam ajudá-lo, sinto lhe dizer que as informações que irá encontrar não vão ser as respostas oficiais e universais. Até existem muitos cursos de escritas, só que a pessoa que aqui escreve não acredita nisso.
Não acredito na escrita como algo calculada, cheia de regras, fria e técnica. Comecei a escrever por acaso, quando tinha mil coisas para dizer, ninguém me ouvia e remoía pensamentos e casos. Foi na escrita que eu me libertei, que eu me encontrei. Foi ali que despejei tudo que estava sentindo e não fui eu que escolhi a escrita. Foi a escrita quem me acolheu.
Desde pequena, eu era apaixonada por "agendas" e "diários". Eu achava que quem escrevia neles era importante e torcia muito para que meu dia de ser presenteada chegasse. Doces ilusões de uma criança! Até que a primeira agenda e meu primeiro diário surgiram e foi através deles que comecei a engatinhar na escrita.
Além de ser apaixonada pela escrita desde criança, eu era apaixonada por histórias e na época do BOOM do senhor dos anéis, escrevi a minha primeira história fantástica que se perdeu e foi escrita na minha antiga máquina de escrever que infelizmente foi doada. Esse é um dos arrependimentos da minha vida. Apesar de não ter mais os originais, a história ainda se mantém viva em minha mente. Nós nunca esquecemos nossas primeiras experiências inesquecíveis!
Só que foi na adolescência mesmo que meu contato com a escrita foi mais intenso e revelador. Sim, foi ali que nasceram os primeiros textos, as primeiras crônicas e poesias. O mundo não me compreendia, não tinha ninguém para me ouvir, sem me julgar e foi escrevendo que eu vomitei as minhas feridas e cicatrizei em textos. Quando nada fazia sentido, virou um hábito escrever.
Foi então que percebi a necessidade que eu tinha em escrever. Eu tão jovem, tinha fome de escrever e que não era saciada.Me nomearam escritora e eu não esperava. Eu descobri meio ao acaso que queria ser escritora.
Depois veio o pré - vestibular onde descobri Machado e Clarice. O momento em que escolhi letras acreditando infantilmente que seria essencial para a minha carreira de escritora. E não é, se querem saber.
Como disse no início do texto, não há fórmula para escrever e não sei sinceramente como isso acontece. Acredito que algumas pessoas possuem esse dom e conseguem desenvolvê-lo ao longo da vida. O mundo te influencia, tudo faz sentido e é na escrita que o escritor se sente completo. Muitos podem escrever, mas poucos são escritores.




Meus companheiros de aventura, meus maiores tesouros que morro de ciúmes

4 comentários:

  1. Nossa, calma, como assim você tinha uma máquina de escrever?! Que demais! Sempre quis ter a oportunidade de escrever em uma, me parece muito bacana a experiência. (:
    Comecei a escrever exatamente assim como você. Comecei com os diários e agendas, que eu preenchia logo que ganhava para depois deixar parada em um canto. Mas foi na adolescência mesmo, "quando nada parece fazer sentido e ninguém parece te entender" haha que a escrita aflorou de vez. Criei o blog e a partir de então, escrever se tornou parte de mim. (:
    Lindo texto!
    Beijos, Ju!
    http://perolairregulaar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Meu sonho é ter uma máquina de escrever! AH, Ju! Eu fico muito feliz por você! É engraçado como a gente não percebe quando a gente a passa de "querer ser escritor" para "ser escritor". Ao contrário do que pode se pensar, não são os leitores que decidem quando isso acontece, mas nós mesmo quando aceitamos que nos alimentamos de palavras. Eu tenho muito fé que você vai fazer sucesso e que vai se realizar de todas as maneiras possíveis.
    E vamos deixar a técnica para quem precisa! Nós temos outra coisa dentro de nós, e essa coisa de chama romantismo! E ele vai alimentar nossa chama literária para sempre.
    Muitos beijos, amiga!
    Thay

    ResponderExcluir
  3. tu sim és uma verdadeira escritora :) beijos

    ResponderExcluir
  4. Você tinha máquina de escrever, sua sortuda?! Ah, como eu queria uma!
    Francamente, eu ainda me espanto com a forma como vc me entende <3
    Comecei mais ou menos do mesmo jeito. E sabe de uma coisa? Escrever não é hábito, não é profissão, é ARTE. Por isso não tem fórmula. Afinal, quem pode escrever uma fórmula para os sonhos? <3

    ResponderExcluir